Crônicas, Geral

Medo de barata, de morcego, de lagartixa, de…

Insetos, répteis, aracnídeos, mamíferos voadores ou roedores…a lista de bichos nada fofos que tiram o sono é vasta – pelo menos cada um de nós tem medo de uma das criaturas pertencentes às espécies citadas ou, mesmo os que não assumem nem sob tortura que têm medo, sentem um nojinho básico. Até aí nenhuma novidade. Medo é algo totalmente natural. A ciência explica que em certa dose ele até precisa existir, para nos dar noção de perigo, para garantir a sobrevivência. Já a fobia é outra coisa, exige tratamento especializado. O medo aqui é outro, aquele mais básico, instintivo.
medo_-blogVoltando ao medo de insetos e assemelhados no quesito nojo, engana-se quem pensa que só nós, mulheres, sentimos pavor, “ou nojinho”, dos mostrengos gosmentos que rastejam por esse vasto mundo. Nada disso, muitos homens também se acovardam diante de sapos, lagartixas e, creiam, até baratas. Admito que alguns exageram e haja fôlego – e garganta – para gritar por socorro, vale também a frase clássica – “tirem esse bicho daqui!” -, sem contar em subir no sofá, sair do banho às carreiras porque uma aranha resolveu passear do lado de dentro do blindex e outros micos que pagamos por causa do medo, “ou nojinho”, dos asquerosos bichinhos que apesar de tudo, possuem um lugar na cadeia alimentar e no equilíbrio ecológico cada dia mais desequilibrado.

medo-2_blogLembrei desses medos, não vou dizer femininos, pois homem também paga mico, porque ouvi dois colegas zoando uma terceira colega que quase teve uma síncope por causa de um morcego. Mas ela não é a única. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) 22% da humanidade (leia-se moças ou rapazes) sentem medo de insetos e outros bichos considerados desagradáveis, nocivos, transmissores de doenças. Justin Timberlake, por exemplo, tem aracnofobia (medo de aranhas). Tenho uma amiga que também passa mal quando vê aranha até na televisão e ela não se contenta com a informação de que a aranha foi levada embora ou foi morta, exige ver o cadáver depois que uma alma caridosa dá uma boa chinelada no bicho.

Um médico, amigo da minha mãe, já largou o carro em plena Avenida Sete de Setembro (uma das mais movimentadas de Salvador) porque uma barata, daquelas marrons que moram nos carros, resolveu passear pela perna dele. Pois o doutor encostou o carro no meio-fio e ligou do celular para a sogra, que veio matar a barata. Também tenho um amigo que odeia sapos. Não gosta nem de ouvir falar nos coaxantes. Já a minha bisavó tinha verdadeiras crises de histeria se visse uma lagartixa. Confesso que também não gosto delas e sempre olho desconfiada as paredes das casas velhas…

medo-3_blogE você, tem medo de quê?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s