Filmes de 2022

2022

A lista do ano na TV, Cinema, DVD, Internet…

No perfil do Filmow tem um pouco de tudo o que já assisti na vida.

01 – Uncle Frank (Amazon Prime) – Temática LGBT+. Achei digno, cativante, com ótimos personagens;

02 – Desaparecida (Netflix) – Thriler argentino bastante tenso e com um final que foge do clichê;

03 – Presságio (Netflix) – Do mesmo diretor de Desaparecida, mas o resultado já não é tão bom;

04 – O páramo (Netflix) – Thriller psicológico espanhol com toques de realismo fantástico. Lindo!

05 – Para o resto de nossas vidas (Amazon Prime) – É um dos meus filmes favoritos sobre o tema amizade.

06 – Wild Wild West (HBO Max) – Comédia nonsense dos anos 90 que vale pelo apego afetivo ao elenco;

07 – Conspiração (HBO Max) – Drama sobre os bastidores do III Reich estrelado por Kenneth Branagh, Colin Firth e Stanley Tucci;

08 – Longe dos Homens (Telecine) – Ótimo drama sobre a independência da Argélia, com bônus de Viggo Mortensen falando francês;

09 – A cela (Globoplay) – Thriller policial sobre serial killers, misturado com toques de Sci-fi. É interessante;

10 – The power of the dog (Netflix) – Filme visualmente precioso e de história poderosa. Benedict Cumberbatch excelente, como sempre;

11 – Doutor Estranho (Disney+) – É um dos filmes do MCU que mais gosto e que sempre revejo;

12 – A guerra das correntes (Amazon Prime) – Vale mais pelos fatos e personagens históricos e pelo carisma dos protagonistas;

13 – Vende-se esta casa (Netflix) – Um filme de terror decepcionante;

14 – Assassinato no Expresso do Oriente (Star+) – Versão muito boa do romance de Agatha Christie;

15 – Extinção (Netflix) – Uma sci-fi bem digna e com plot que surpreende;

16 – Tumba Aberta (Netflix) – De forma surpreendente para o baixo orçamento, uma história de zumbi que não é óbvia;

17 – Boneco do Mal II (Amazon Prime) – O primeiro é melhor que essa continuação, que nem precisava existir, na verdade;

18 – O projeto Adam (Netflix) – Mistura de aventura e sci-fi estilo sessão da tarde, bem fofinho e nostálgico;

19 – O homem invísivel (Amazon Prime) – Terror psicológico e suspense com um tema atual e necessário de ser discutido;

20 – Aqueles que me desejam a morte (HBO Max) – Vale pelo carisma do guri e por Angelina Jolie;

21 – Vivos (Telecine) – Uma versão amenizada e mais ‘família’, mas que eu gosto, da história dos sobreviventes dos Andes;

22 – Campo do Medo (Netflix) – Um terror regular que apela para loopings temporais e paradoxos;

23 – Não olhe para cima (Netflix) – Gostei da proposta, mas o filme poderia ser mais curto;

24 – I am mother (Netflix) – Uma sci-fi digna e que discute a maternidade de uma forma interessante;

25 – A cura (Netflix) – É um filme regular, meio pretencioso e que definitivamente deveria ser mais curto;

26 – A hora da sua morte (Amazon) – Um terror curtinho e correto, mas recheado de jump scares;

27 – Spectral (Netflix) – Sci-fi basiquinho e que diverte;

28 – Morte no Nilo (Star+) – Tão bom quanto a adaptação de Assassinato no Expresso do Oriente;

29 – A pura verdade (Amazon Prime) – Uma terna mistura de biografia e ficção sobre Shakespeare;

30 – Imperdoável (Netflix) – Um drama muito bom sobre os limites da justiça, da vingança e do amor;

31 – O caminho para Eldorado (Netflix) – É uma animação fofinha do começo dos anos 2000;

32 – Os órfãos (Amazon Prime) – Adaptação com final broxante de A volta do parafuso, de Henry James;

33 – Nada a esconder (Le Jeu / Netflix) – Comédia dramática francesa que discute a privacidade na era digital, achei interessante;

34 – Yesterday: a trilha do sucesso (Netflix) – Comédia romântica fofa ao som dos Beatles. Ótimo para quem curte a banda;

35 – O sono da morte (Neflix) – Um thriller corretinho e que traz bons questionamentos sobre maternidade;

36 – Planeta dos Macacos 2008 (Star+) – Não é o melhor de Tim Burton e nem a melhor adaptação do livro, mas respeita o final original;

37 – Os dois mundos de Charlie (Youtube) – Adaptação de 1968 de Flores para Algernon, mas despreza partes importantes do livro;

38 – O Planeta dos Macacos de 1968 (Star+) – Continua um filme impactante pelas metáforas e pelo final que é referência até hoje;

39 – De volta ao planeta dos macacos (Star+) – Tenta continuar a história do primeiro filme, mas se perde e fica muito chato;

40 – A garota no trem (Amazon Prime) – Thriller com um final que surpreende quem não conhece o romance original;

41 – Truque de Mestre (Globoplay) – Um cinemão divertido ambientado no mundo do ilusionismo, um bom ‘filme de exagero’;

42 – Um lugar silencioso – Parte II (Telecine) – O primeiro é bem melhor, mas esse continua a história com bastante dignidade;

43 – Para Wong Foo (Star+) – Um dos meus favoritos. Revi para apresentá-lo ao meu filho, que também gostou muito. O filme se mantém atual;

44 – O garoto da casa ao lado (Netflix) – Um suspense bem ruim, com roteiro fraco, machista e etarista. Não perca seu tempo;

45 – O culpado (Netflix) – Um suspense bem criativo e que prende a atenção do começo ao fim;

46 – Morra, Smoochy, Morra! (HBO Max) – Comédia bem sarcástica de Deni DeVito. Achei interessante a crítica aos programas de TV infantis;

47 – Hypnotic (Netflix) – Um suspense regula, mas assistível;

48 – Sr. Sherlock Holmes (Netflix) – Fofo, comovente e com o maravilhoso Ian Mckellen;

49 – Brightburn (Netflix) – Um suspense fraquinho e dispensável;

50 – Animais Fantásticos: Os crimes de Grindewald (HBO Max) – Vale por Eddy Redmayne dando o sangue pelo universo potteriano;

51 – O apanhador de sonhos (HBO Max) – Uma adaptação bomba de Stephen King, não vale a pena;

52 – Segredos de Sangue (Netflix) – Um terror que se esforça, mas é só bizarro demais, apesar do bom elenco;

53 – The House (Netflix) – Antologia de animações muito bacana visualmente e com boas histórias;

54 – Eli (Netflix) – Terror genérico, mas que entretém;

55 – Maré Vermelha (Star+) – Um filme de guerra regular, com boas atuações do elenco estrelado;

56 – Alive (Netflix) – Filme de zumbi coreano bem criativo e interessante pela proposta;

57 – Animais Fantásticos: Os segredos de Dumbledore (HBO Max) – Bacaninha, gostei de Mads Mikkelsen como Grindewald, sombrio na medida certa;

58 – Boa noite, Mamãe (Amazon Prime) – Remake bem digno do original australiano que é bastante cultuado. O plot surpreende;

59 – Transamazônia (Mubi) – Documentário muito necessário sobre a vida e a realidade das pessoas transgênero no norte do Brasil. Recomendadíssimo!

60 – Estrelas além do tempo (Disney+) – Um filme muito fofo sobre as afroamericanas que ajudaram a levar o homem à lua mas que, por racismo, estavam excluídas da história oficial;

61 – Fale com ela (Mubi) – Desencantei esse Almodóvar, que ainda não tinha visto. Fui impactada pela história, mas tive zero empatia pelo protagonista. O tema é sensível, não é meu filme preferido do diretor;

62 – Contágio (Globoplay) – Apesar dos exageros cinematográficos, achei bem digno na forma de mostrar o quanto os humanos são descuidados e negligentes, o que favorece a proliferação dos vírus [que o diga a pandemia de covid-19];

63 – Lobisomem na noite (Disney+) – Um média metragem bem bacaninha do MCU, inspirado nos quadrinhos. Gostei da fotografia e da estética do filme também;

64 – Como você quiser (HBO Max) – É a adaptação de Shakespeare mais controversa de Kenneth Branagh, que ambienta a história do bardo no Japão dos shoguns, mas eu achei bem gostosinho de assistir;

65 – Insanatório (HBO Max) – É um slasher movie de zumbis que de tão ruim e tosco chega a ser ruim e tosco mesmo. Esse vai para a lista daqueles que eu queria ‘desver’;

66 – O enfermeiro da noite (Netflix) – Eddie Redmayne e Jéssica Chastain estão muito bem nesse thriller baseado em fatos reais sobre um caso sinistro de um enfermeiro psicopata e a negligência do sistema de saúde privado com a vida dos pacientes;

67 – Lua de mel com a minha mãe (Netflix) – Comédia espanhola bem fofinha e engraçada com a maravilhosa Carmen Machi;

68 – Jaula (Netflix)- Thriller psicológico espanhol bem tenso e com um ótimo elenco. A história prende e o final não decepciona;

69 – Belfast (Telecine) – Drama autobiográfico sobre a infância de Kenneth Branagh em Belfast durante ‘The Troubles’. É sentimental, é idílico e é leve e bem humorado como o diretor;

70 – Flor de Neve e o leque secreto (HBO Max) – Delicadíssima história chinesa sobre o amor e a cumplicidade de duas amigas de Hong Kong e suas antepassadas da China imperial;

71 – Viveiro (Amazon Prime) – Mistura de terror e ficção científica distópica com umas metáforas bem interessantes sobre a condição humana;

72 – Correndo contra o tempo (Netflix) – Thriller policial que mistura investigação e viagem no tempo e tem um final padrão, mas gostei do conjunto e do fato de serem todos protagonistas negros;

73 – Enola Holmes (Netflix) – Aventura adolescente fofa no universo do detetive mais amado do Reino Unido. Sou fã de Sherlock em todas as suas variações;

74 – O paciente perdido (Netflix) – Thriller de suspense que cumpre com dignidade as regras do gênero e tem bom plot twist;

75 – Enola Holmes 2 (Netflix) – Continuação da aventura adolescente fofa que resgata a greve das meninas do fósforo na era vitoriana e faz uma junção muito interessante e divertida de fatos históricos com o universo de Sir Arthur Conan Doyle;

76 – Pinóquio de Guillermo del Toro (Netflix) – Uma joia, uma obra de arte em stop motion, mais que recomendado;

77 – Não olhe para o berço (Amazon Prime) – Vencedor do troféu bomba do ano. Terror clichê, mas do tipo mal feito e esquecível;

Advertisement