As duas vidas de Charlie

Flores para Algernon, edição de 2018 da Aleph (Foto: Andreia Santana/@blogmardehistorias Somos apenas um conjunto de tudo o que aprendemos? Valemos mais quanto maior for o nosso Q.I? Essas são algumas perguntas estimuladas após a conclusão da leitura de Flores para Algernon, clássico de ficção científica do escritor norte-americano Daniel Keyes, publicado originalmente em 1959, … Continuar a ler As duas vidas de Charlie

Resenha: Quando eu partí

As donas de casa dos anos 1950 sofriam as mesmas pressões vividas pela protagonista de Gayle Forman. A diferença é que elas não falavam sobre o assunto e nem trabalhavam fora, mas tinham jornadas igualmente extenuantes (Foto: Getty Images) Uma mulher de 44 anos, editora de uma revista de celebridades, mãe de gêmeos, casada, que … Continuar a ler Resenha: Quando eu partí

Resenha: A varanda do frangipani (Mia Couto)

A alma se parte em duas de tanta beleza e tanta tristeza com a leitura de A varanda do frangipani, romance de Mia Couto ambientado no período logo depois da independência de Moçambique, a terra natal do autor. O cenário é a fortaleza de São Nicolau, onde funciona um asilo de idosos.  Quem narra a … Continuar a ler Resenha: A varanda do frangipani (Mia Couto)

Resenha: O som do tempo passando (Victor Mascarenhas)

A voz de Renato Russo cantando ‘Quase sem querer’ grudou feito chiclete na minha memória logo nas primeiras páginas de O som do tempo passando, romance de Victor Mascarenhas lançado pelo selo Cafeína Produção de Conteúdo, criado pelo próprio autor. Colaram-se em mim feito segunda pele a melodia e a letra, que me espantei ao … Continuar a ler Resenha: O som do tempo passando (Victor Mascarenhas)

Resenha: Não encontrei o passado, tenho que voltar (José Carlos Mello)

Quanto mais velhos, mais o passado assombra a memória. E quando o novelo dos tempos idos é desfiado com a ajuda de um amigo que já morreu, fica a incômoda sensação de que as lembranças trazem seu quinhão de acerto de contas. E é para acertar as contas com as sequelas da infância que o … Continuar a ler Resenha: Não encontrei o passado, tenho que voltar (José Carlos Mello)

Resenha: Mônica vai jantar

Mônica está presa em um looping. E o que torna a protagonista do novo livro de Davi Boaventura, Mônica vai jantar (Não editora) tão real, é que a maioria das mulheres, pelo menos em alguma fase da vida, também já esteve presa em um looping, Seja provocado por relacionamentos tóxicos, crises profissionais ou estresses familiares. … Continuar a ler Resenha: Mônica vai jantar

Lima Trindade lança romance inspirado na construção de Brasília

O escritor brasiliense, radicado em Salvador, Lima Trindade se inspirou na construção de Brasília para seu novo livro, o romance As margens do Paraíso, publicado pela Cepe Editora. O lançamento acontece em Salvador, no dia 30 de março, às 18h, na Livraria LDM, no Cine Glauber Rocha (Praça Castro Alves, Centro da capital). Depois de … Continuar a ler Lima Trindade lança romance inspirado na construção de Brasília

Tordesilhas lança novo romance de Yann Martel, mesmo autor de As aventuras de Pi

As altas montanhas de Portugal, novo romance de Yann Martel, consagrado autor de As aventuras de Pi, foi lançado este mês no Brasil pela Tordesilhas. O livro é ambientado em Portugal, no decorrer do século XX, e mistura fábula contemporânea e conto fantástico, reunindo três novelas que se conectam no desenrolar da narrativa. As três histórias … Continuar a ler Tordesilhas lança novo romance de Yann Martel, mesmo autor de As aventuras de Pi

Contexto cria selo de romances históricos

A Contexto criou o selo Marco Polo para publicação de romances históricos, marcando assim a entrada da editora no universo da ficção. Dois livros estreiam o novo selo: Portões de Fogo, do norte-americano Steven Pressfield, que resgata o famoso mito de resistência heroica dos 300 de Esparta, e O inquisidor, ambientado na França do século … Continuar a ler Contexto cria selo de romances históricos

A casa de papel, do escritor argentino Carlos María Dominguez, é relançado no Brasil

O livro mais famoso do argentino Carlos María Dominguez, A casa de papel, esgotado há quase uma década, foi relançado no Brasil, com nova tradução e posfácio, pela editora Realejo. A obra já foi traduzida para 20 idiomas, teve mais de 150 mil cópias vendidas e ganhou diversos prêmios em diferentes países. Em A casa de … Continuar a ler A casa de papel, do escritor argentino Carlos María Dominguez, é relançado no Brasil