Vizinhança…

A Vila Laura, esse bairro minúsculo e labiríntico no finalzinho de Brotas, que para as empresas de transporte coletivo de Salvador não existe no mapa, reserva surpresas agradáveis que me fazem adorar o lugar, mesmo dependendo da boa vontade de Naná (Narandiba-HGE), o ônibus que me leva ao trabalho diariamente. Entre essas surpresas, ouvir o … Continuar a ler Vizinhança…

Flor de jambo

A Vila Laura tem um jambeiro que sombreia o ponto de ônibus. Nesta manhã de sábado de véspera natalina, esperava o coletivo que me levaria para mais um dia de plantão, assim: abençoada com um dossel em rosa e verde. Para quem é de festas, desejo um dia tão bonito e delicado quanto essas flores... … Continuar a ler Flor de jambo

Tá chovendo sacola!

Amanheci o dia com uma intimação via Facebook para ler a  mais nova crônica de uma das minhas filhas jornalísticas e que, de vez em sempre, vive seus apuros nos ônibus de Salvador. Não esperava fechar o dia tendo o que contar sobre o mesmo tema, mas Naná estava quieto demais nos últimos tempos, logo … Continuar a ler Tá chovendo sacola!

É volante ou joystick?

O nome é Naná para os íntimos. Os íntimos são os coitados que moram na Vila Laura e dependem da linha Narandiba-Hospital Geral para chegar ao trabalho. Como sou unha e carne, batizei de Naná. É o único ônibus, dos raros que  transitam pelo bairro, que serve a quem precisa chegar à região do Iguatemi … Continuar a ler É volante ou joystick?

Visitinha

Minha janela é visitada todos os dias de manhã por uma família de cinco miquinhos, que brincam de gangorra no bambuzal do terreno ao lado do prédio. De vez em quando, um mais corajoso salta para a tela de proteção (colocada quando meu filho era bebê) e fica assim, olhando com essa cara de "me … Continuar a ler Visitinha

Acordei em (estado de) tonturas…

Meus vizinhos são uns amores. No prédio onde moro, todo mundo resolveu criar cachorro e o mais novo membro da família canina do edifício é um beagle de dois meses de vida. Esse priminho do Snoopy é uma fofura...quando não está chorando de madrugada. Penso seriamente em comprar um rotweiller, o cão infernal. Posso batizá-lo … Continuar a ler Acordei em (estado de) tonturas…

Pô, dona Coelba, custava avisar?

Cheguei da aula de GCP (Grupo de Consciência Postural) por volta das 10h30 da manhã desta terça e minha mãe anunciou: "estamos sem energia elétrica há cerca de uma hora". Perguntei o motivo e, pelo que ela havia apurado com a síndica do prédio, era um "serviço" da Coelba no bairro (Vila Laura, na macro-região … Continuar a ler Pô, dona Coelba, custava avisar?

Era uma vez…construção civil na Vila Laura

Era uma vez uma casa grande de portões vermelhos, que ficava em uma rua. Um dia, apareceram uns homens com pastas pretas e capacetes amarelos. E também apareceu um trator. E, em poucas horas, a casa não estava mais lá...Um menino viu tudo com suas lentes de aprendiz.

“Há algo de podre” na atmosfera de Salvador

Hamlet entende disso melhor que eu, pois já farejava algo de pobre no reino da Dinamarca em tempos remotos. Mas a verdade é que o efeito estufa, o excesso de automóveis nas ruas, os esgotos a céu aberto e o lixo acumulado em cada esquina - a cidade está imunda, basta andar de ônibus para … Continuar a ler “Há algo de podre” na atmosfera de Salvador

Ebó vira banquete de mendigo

Na ladeira do Extra, notório endereço onde os adeptos do Candomblé fazem suas oferendas aos orixás - existem diversos pequenos terreiros na região de Vila Laura / Luiz Anselmo -, um prato de barro cheio de frutas descansava à sombra de uma das últimas mangueiras da região. As outras foram derrubadas para hospedar o Vila … Continuar a ler Ebó vira banquete de mendigo