Cismando com palavras. Ou, cada doido com sua mania

Tenho problemas com o adjetivo "querida" e, a depender do contexto, se me chamar de "minha querida", antes a morte. É uma cisma, mas não gratuita. Querida (o), embora seja uma palavra bonita, que denota afeto, também é usada levianamente por gente que com os lábios te chama de "querida", mas com os olhos diz … Continuar a ler Cismando com palavras. Ou, cada doido com sua mania

Insônia

Maria anda pela casa ouvindo todas as variações do silêncio. Na porta do quarto do menino, um leve ressonar. Na porta do quarto da menina, silêncio absoluto, silêncio de sono pesado. Na pia da cozinha, até a gota d´água parece dormir, pendurada na torneira. Uma formiga passeia sobre a pia, uma lagartixa no teto mira … Continuar a ler Insônia

Vivo, logo escrevo

Dizem que antes do aniversário,  entramos no inferno astral. Comecei a recuperar os textos do ano passado, postados no blog que virou Mar de Histórias. Percebi que os sentimentos do inferno astral também são sempre os mesmos. Se fosse escrever sobre as últimas horas, usaria as palavras que escrevi um ano atrás... "Somedays are better … Continuar a ler Vivo, logo escrevo