Aberta a temporada de desabamentos

"Abril, águas mil!" Ainda lembro de minha avó recitando esse ditado pela casa, como se fosse o oráculo de Delphos, enquanto cobria todos os espelhos. Tinha medo de raios e trovões - "valei-me minha Santa Bárbara" - e acreditava que suas orações recobriam a casa como a capa da invisibilidade do Harry Potter. Minha mãe … Continuar a ler Aberta a temporada de desabamentos

Uma cidade ao “deus dará”

Me enoja que diante da emergência da chuva em Salvador, os partidos políticos que comandam governo do estado e prefeitura usem a tragédia de tantas famílias como moeda de troca eleitoral. O imbróglio é bem confuso mesmo. O ministro da integração nacional não é do mesmo partido do presidente, mas o apoia.  O governador do … Continuar a ler Uma cidade ao “deus dará”

Vida real, vida virtual

O que ando fazendo aqui fora, quando não estou aqui dentro (do blog): - Tendo aulas de ética e direitos autorais na Internet. Matéria essencial em tempos de pirataria institucionalizada; - Concluindo a leitura do quinto e último livro da série Guia do Mochileiro das Galaxias. Já prometi alguns posts abaixo, mas esse fim de … Continuar a ler Vida real, vida virtual

Dia de cinema

A chuva deu uma trégua e lá fomos nós experimentar o cinema em 3D. O filme: Monstros vs Alienígenas.  Uma cena belíssima me fez lembrar de Louis Armstrong (o astronauta) e de Iuri Gagarin. A Terra, imensa, azul, ao alcance da minha mão, como uma bola de praia. Depois até falo do filme, que é uma … Continuar a ler Dia de cinema

“Cai chuva do céu cinzento”

Cai chuva do céu cinzento Que não tem razão de ser. Até o meu pensamento Tem chuva nele a escorrer. Tenho uma grande tristeza Acrescentada à que sinto. Quero dizer-ma mas pesa O quanto comigo minto. Porque verdadeiramente Não sei se estou triste ou não. E a chuva cai levemente (Porque Verlaine consente) Dentro do … Continuar a ler “Cai chuva do céu cinzento”