O desconforto de Black Mirror nos persegue desde a antiguidade (sem spoilers)

Há quem diga que não tem mais volta e que o emaranhado das redes onde nos enredamos na vida virtual tende a embaraçar ainda mais. Tendo ou não volta - e para além dos usos necessários ou das inutilidades da internet -, refletir sobre a própria existência e seus rumos é da natureza humana. O segredo … Continuar a ler O desconforto de Black Mirror nos persegue desde a antiguidade (sem spoilers)

Alerta de Spoiler: The Walking Dead depois da curva

The Walking Dead chegou àquela curva representada pelo ponto de virada do quadrinho número 100. E mesmo quem nunca leu a HQ de origem da série homônima do canal norte-americano AMC (no Brasil exibida pela Fox), sabe que o quadrinho 100 é o 'Um Anel' do universo kirkmaniano. O quadrinho 100 é aquele em que … Continuar a ler Alerta de Spoiler: The Walking Dead depois da curva

A responsabilidade das mulheres e a omissão dos homens

A reportagem de capa da revista Época desta semana, a de nº 774, é sobre relações de gênero, mais especificamente a relação entre homens e mulheres heterossexuais. Com o sugestivo título "O que as mulheres querem dos homens", a série de matérias que compõem o especial trata do quanto as mulheres têm expectativas demais e … Continuar a ler A responsabilidade das mulheres e a omissão dos homens

Leitura não é questão de tecnologia, é hábito de infância

O texto que reproduzo abaixo foi publicado nesta terça no site da Agência Brasil (agência de notícias do governo federal), que permite a reprodução do seu conteúdo desde que citada a autoria e a fonte. A matéria, escrita pela repórter Mariana Tokarnia, traz dados de uma pesquisa que aponta que os professores das escolas públicas leem pouco, … Continuar a ler Leitura não é questão de tecnologia, é hábito de infância

“Meus heróis morreram de overdose”. Ou, apenas envelheceram e deixaram o campo para outros

Li no blog Mulheres do Mundo, que é hospedado no site da revista feminina Marie Claire, um post sobre o desconsolo dos fãs quando seus ídolos diminuem a importância das lutas ou das obras de suas juventudes; ou mesmo quando eles renegam o passado de glórias (leia o post aqui).  Fiquei pensando com os meus … Continuar a ler “Meus heróis morreram de overdose”. Ou, apenas envelheceram e deixaram o campo para outros

É o fim do amor romântico. Será?!

Leio e ouço muita gente apregoando o fim do amor romântico e das relações monogâmicas em livros, revistas, na internet... Vejo muita gente vivendo na pele a teoria do "ninguém é de ninguém" (e alguns saindo bem feridos da brincadeira). Percebo ainda, cada dia, mais e mais gente defendendo uma forma de invidualismo que não … Continuar a ler É o fim do amor romântico. Será?!

Pagode da rebeldia? Não, é mera resignação…

Os pagodeiros baianos se conformaram com o lugar legado ao negro pela colonização de ideologia branca, machista, racista e dominante: o corpo. Embora, para defender sua arte, apregoem que as letras pejorativas e depreciativas, sobretudo da figura feminina, servem como protesto da periferia, como uma ação libertária dos expatriados, uma ode à putaria no reino … Continuar a ler Pagode da rebeldia? Não, é mera resignação…

Tenho medo de você

Todo usurpador do poder tem medo de uma rebelião que o tire da posição de comando. A frase pode dar essa impressão, mas minha ideia não é falar de partidos, embora o tema tenha seu viés político. Trata-se, porém, não da política eleitoreira, mas daquela feita no cotidiano, nas negociações inerentes ao jogo social. Trata-se, … Continuar a ler Tenho medo de você

Seu passado NÃO te condena

"Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia, não há nada mais simples. Tem só duas datas - a de minha nascença e a de minha morte. Entre uma e outra, todos os dias são meus". A citação do poeta português Fernando Pessoa, que abre o post, é uma das minhas favoritas. Trouxe … Continuar a ler Seu passado NÃO te condena

“Conselho e água…”

Me sinto chamada a uma responsabilidade muito grande quando alguém me pede um conselho, principalmente sentimental. Talvez por pudor, ou modéstia, já que não sou especialista em nada, muito menos em amor, não me sinto capaz de assumir o papel em tempo integral. E também por uma certa desconfiança dos conselhos. Acredito que, com as … Continuar a ler “Conselho e água…”