séries

The OA aposta em thriller policial na parte 2

ALERTA DE SPOILER: O texto traz spoileres da primeira temporada, importantes para contextualizar os episódios da segunda. Se você ainda não assistiu nenhum episódio de nenhuma das duas temporadas de The OA, recomendo que assista primeiro e leia o post depois.

Brit Marling é criadora e protagonista de The OA

A segunda temporada da série The OA, produção original Netflix criada pela atriz e roteirista Brit Marling junto com o diretor Zal Batmanglij, expandiu o universo inicial da produção, inserindo novos personagens, cenários, elementos e histórias que se cruzam em dimensões diferentes. O resultado é que os oito episódios dessa segunda parte da série são tão bons quanto aqueles da primeira temporada. A segunda temporada estreou em 29 de março no serviço de streaming.

A série amadureceu e ganhou ainda mais consistência dentro de sua proposta de discutir conceitos como o de multiverso, as viagens interdimensionais, as muitas versões de uma mesma pessoa vivendo experiências diferentes em universos paralelos, e a morte como um estágio de alteração da consciência humana, que pode migrar para outros corpos, tempo e lugar.

No geral, a série é uma mistura de ficção científica, física quântica e esoterismo, entre outras coisinhas. Nem todo mundo gosta, mas quem simpatiza com esses temas, não se decepciona.

Se a primeira temporada – que apresenta os personagens principais e os conceitos de The OA – tem um perfil mais onírico e telúrico, com um ritmo parecido com o de um sonho; dessa vez, aos elementos já apresentados, soma-se um thriller policial que se desenrola em paralelo às aventuras da Original Angel e seus amigos.

A ‘coreografia dos anjos’ apresentada na primeira temporada também está presente e ganha elementos novos, revelando-se de fato como a chave que abre portais interdimensionais.

OA, em sua versão Nina Azarova, e o detetive Karim Washington

A segunda temporada ou The OA – Parte 2, como nomeia a Netflix, começa com o detetive particular e ex-agente do FBI Karim Washington sendo recrutado por uma avó desesperada com o sumiço da neta. Assim, ele chega a uma misteriosa casa que atrai adolescentes porque é o cenário de um game criado por um gênio da tecnologia. Só que o tal game está enlouquecendo os adolescentes, literalmente.

A partir da sua investigação cada vez mais intrincada, o detetive particular tem seu destino entrelaçado com o de Prairie Jonhson (também chamada de Original Angel – OA) e, a partir daí, o caso policial corriqueiro sobre uma adolescente desaparecida se transforma em mais uma peça no grande quebra-cabeças multitemporal da série.

OA, por outro lado, terminou a primeira temporada dentro de uma ambulância, sendo socorrida após levar um tiro no peito durante o ataque à escola da professora BBA e dos quatro adolescentes – Jesse, Steve, Buck e French – que escutam a misteriosa história contada por Prairie na primeira parte da série.

No começo dessa segunda parte, ficamos sabendo o que de fato aconteceu com OA (ou Prairie) depois do tiro e também conhecemos a outra versão dela, em outra dimensão, a jovem rica e orfã de origem russa, Nina Azarova.

Assista ao trailer da segunda temporada (legendado):

Também ficamos sabendo o que acontece com a professora BBA e os quatro adolescentes que aprendem a coreografia dos anjos e também descobrimos o que houve com Homer, o amado de OA, e com os outros jovens que na primeira parte foram aprisionados pelo médico Hap, que tem obsessão por relatos de quase-morte e sequestrou diversas pessoas que tiveram EQMs (Experiências de Quase Morte) para realizar experiências.

A segunda parte abre espaço para uma terceira temporada e deixa diversas dúvidas para serem esclarecidas em um possível novo conjunto de episódios. A Netflix, no entanto, ainda não confirmou a terceira parte de The OA, mas Brit Martling e Zal Batmanglij já haviam dado entrevistas no passado em que afirmaram que o programa foi concebido para ter cinco temporadas.

Da primeira para a segunda foram quase três anos de espera, mas fãs já sinalizaram em fóruns de discussão na web que não aguentam esperar tanto por uma terceira parte. Enquanto os produtores e o serviço de streaming não confirmam as novas datas, a internet fervilha de teorias sobre os significados da série.

Em se tratando de The OA, nenhuma teoria dá conta de abraçar o complexo universo da série, mas também nenhuma é impossível…

>>Leia análise da primeira temporada de The OA

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s