1livroporfinaldesemana, Literatura, Resenhas

Resenha: A cabeça do santo (Socorro Acioli)

Fama de milagreiro e casamenteiro de Santo Antônio dão a tônica do hilário e absurdo romance de Socorro Acioli
Fama de milagreiro de Santo Antônio costura o hilário romance de Socorro Acioli

A cabeça do santo, da escritora cearense Socorro Acioli, é uma hilária mistura de realismo fantástico com teatro sertanejo, no melhor estilo de O auto da compadecida (Ariano Suassuna), só que com um herói mais calejado. A história brinca com as crenças nordestinas nos poderes de Santo Antônio para atar romances, mesmo que os caminhos do enlace sejam os mais tortuosos possíveis.

O livro nos apresenta a Samuel, um jovem amargurado e descrente que se vê obrigado a pagar uma promessa feita à mãe moribunda. O rapaz deve procurar a avó e o pai, que ele nunca conheceu. No caminho, deve acender três velas pela alma da falecida. Assim, o rapaz empreende uma viagem insólita, a pé, de Juazeiro do Norte, onde morava com a mãe, até Candeia, cidade natal de seu pai, para cumprir a missão.

Ao chegar a Candeia, que é quase uma cidade fantasma nos moldes da Macondo de Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez – Socorro Acioli foi aluna de escrita criativa do autor -, Samuel tenta encontrar os familiares, mas é mal recebido pela avó, que o manda abrigar-se em um determinado local onde, talvez, o jovem encontre as respostas para os dramas de sua vida.

O abrigo é a cabeça gigante de um Santo Antonio, abandonada nas cercanias de Candeia. Samuel passa a morar nessa exótica caverna, cuja porta de entrada é o encaixe do pescoço do santo, e começa a ouvir, como se trazidas pelas ondas de uma rádio mística, todas as orações das mulheres da cidade. Algumas pedem marido, outras pedem proteção nas suas lutas diárias, umas rezam pela decadente Candeia e uma voz em particular canta em uma língua estranha modinhas que doem no coração e provocam uma nostalgia profunda no sofrido protagonista.

A partir daí, diversas tramas desenvolvem-se ao mesmo tempo, com Samuel atuando como ajudante do santo na resolução dos milagres pedidos pelos candeenses, ao mesmo tempo em que fio a fio, desata o novelo do misterioso sumiço de seu pai, dos silêncios da mãe sobre a família e do comportamento excêntrico da avó.

Leve, divertido e com uma trama recheada de reviravoltas, A cabeça do Santo é um entretenimento daqueles bons para desopilar o fígado e melhorar o humor. De quebra, o leitor, principalmente de outras regiões ou o não familiarizado com a diversidade cultural nordestina, é também apresentado às peculiaridades de tradições que misturam uma capacidade enorme de sobrevivência em condições adversas, com superstições ancestrais e toques de absurdo. Abrindo a cabeça (com o perdão do trocadilho), sem preconceitos, esta pode ser uma leitura das mais prazerosas.

Ficha Técnica:

a-cabeca-do-santo-capaA cabeça do santo

Autora: Socorro Acioli

Editora: Companhia das Letras

176 páginas

R$ 25,90 (pesquisado em 10/12/16 na Amazon)

Anúncios

4 thoughts on “Resenha: A cabeça do santo (Socorro Acioli)”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s