A transcendência coreografada de The OA

Abrir o plexo solar, liberar o chakra que simboliza a entrada da luz dourada que alimenta, purifica e acalma o espírito. Para quem pratica meditação ou acredita e segue alguma das muitas terapias holísticas existentes, a 'coreografia dos anjos' de The OA, nova série que a Netflix lançou agora em dezembro, não parece tão estranha. … Continuar a ler A transcendência coreografada de The OA

Resenha: Histórias perversas do coração humano (Milad Doueihi)

"O coração, órgão da vida e da fala, do renascimento e da regeneração, do sagrado e do mágico, foi por mim totalmente humanizado. Ele foi dado ao homem como ferramenta e instrumento de amizade, como meio de dominar o próprio eu e a carne por meio das palavras e nas palavras que o habitam." A … Continuar a ler Resenha: Histórias perversas do coração humano (Milad Doueihi)

Resenha: A pomba (Patrick Süskind)

A pomba é uma pequena novela sobre o medo de quebrar as regras, de escapar da rotina e de se expor aos caprichos do destino. Nesse história de 112 páginas, Patrick Süskind, o consagrado autor de O perfume, apresenta a vida ordinária de Jonathan Noel, vigia de uma agência bancária, em Paris. Noel guarda embaixo da … Continuar a ler Resenha: A pomba (Patrick Süskind)

Resenha: A dama oculta (Ethel Lina White)

A dama oculta é um thriller claustrofóbico. Tem a maior parte da ação acontecendo em um trem que cruza a Europa. Mas, ao contrário de Assassinato no Expresso Oriente, da britânica Agatha Christie, o livro dessa conterrânea da 'dama do suspense' tem uma atmosfera mais soturna. Ethel Lina White envolve o leitor no desespero de … Continuar a ler Resenha: A dama oculta (Ethel Lina White)

A culpa é dos maratonistas de série

Dizem que a noção da passagem do tempo é relativa. Basta pensar que toda vez que estamos fazendo alguma coisa realmente bacana e divertida, ele voa; e quando cumprimos uma obrigação tediosa, se arrasta. Desconfio que de uns tempos para cá, o tempo não apenas voa, como desloca-se em avião supersônico. Acredito ter encontrado os … Continuar a ler A culpa é dos maratonistas de série

Resenha: Contos de terror do tio Montague (Chris Priestley)

Contos de terror do tio Montague, do britânico Chris Priestley, é um Penny Dreadful em versão infanto-juvenil. Mais juvenil, inclusive, porque certos trechos, definitivamente, vão causar pesadelo em crianças muito pequenas. Fazendo uma comparação mais próxima do público brasileiro, o livro lembra a deliciosa série de animação Historietas assombradas para crianças malcriadas, de Vitor-Hugo Borges. … Continuar a ler Resenha: Contos de terror do tio Montague (Chris Priestley)

Resenha: A cabeça do santo (Socorro Acioli)

A cabeça do santo, da escritora cearense Socorro Acioli, é uma hilária mistura de realismo fantástico com teatro sertanejo, no melhor estilo de O auto da compadecida (Ariano Suassuna), só que com um herói mais calejado. A história brinca com as crenças nordestinas nos poderes de Santo Antônio para atar romances, mesmo que os caminhos … Continuar a ler Resenha: A cabeça do santo (Socorro Acioli)

Mais empatia e menos sorrisos vazios, por favor!

Brasileiro é aquele povo aguerrido e que tem a capacidade de rir de si mesmo e das próprias tragédias, confere? O problema é que segundo pesquisa divulgada em outubro deste ano pela Universidade do Estado do Michigan (EUA), nosso país figura na 51ª posição no ranking que mede o nível de empatia em 63 países. … Continuar a ler Mais empatia e menos sorrisos vazios, por favor!

Vamos brincar de lista. Livros para presentear no Natal

Aproveitando o clima natalino, a Estante Virtual fez uma lista com a sugestão de 40 livros disponíveis em seu catálogo, para quem gosta de presentear amigos e familiares com boas leituras. Fiz uma triagem na lista deles e selecionei dez títulos que julguei os mais interessantes, levando em consideração o meu gosto literário. Além da curadoria … Continuar a ler Vamos brincar de lista. Livros para presentear no Natal

Resenha: As damas do século XII (Georges Duby)

As damas do século XII, do historiador francês Georges Duby, reúne três ensaios sobre a representação feminina na Idade Média: Heloísa, Isolda e outras damas do século XII; A lembrança das ancestrais; e Eva e os padres. Embora a premissa da obra seja analisar a participação feminina na determinação das identidades das famílias nobres francesas mais importantes do … Continuar a ler Resenha: As damas do século XII (Georges Duby)