(Im)paciente Crônica: Aceite Jesus!

No cinema Jesus é sempre um cara bonitão

No cinema Jesus é sempre um cara bonitão

É sentar no ônibus e fazer cara de pensativa para que apareça um baleiro evangélico distribuindo guloseimas e panfletos imperativos: Aceite Jesus! Me dizem os pedaços de papel colorido e rabiscado com trechos da bíblia que não tenho a menor certeza se são autênticos ou estão corretos, uma vez que arrancar frases soltas da bíblia e usá-las para fins escusos (como disseminar ódio) é tão comum…

(Parêntese): o problema é a cara de pensativa, desconfio, porque os “abençoados” panfletos nunca são postos no colo de quem tagarela ao celular em decibéis acima daqueles ditados pela discrição, bom senso e mínima educação doméstica, itens em falta entre uma parcela cada vez maior dos ‘baianos cordiais’.

…Fico pensando na frase: Aceite Jesus! Grafadas no panfleto em letras maiúsculas e brancas, sobre fundo rosa. Coitado, por mim pelo menos ele nunca foi rejeitado. Gosto do cara, aparenta ter sido um sujeito muito gente boa. Pregava o amor, o respeito, a união entre as pessoas, a gentileza e a solidariedade. Todos sentimentos nobres e necessários no mundo. Acho que era feminista e com toda certeza, não suportava gente preconceituosa, intolerante, hipócrita. Nos filmes é sempre interpretado por caras bonitões, embora eu não tenha certeza de que ele tenha sido branco e de olhos azuis. Podia ter tido os olhos amendoados, a pele bronzeada de um tuaregue, ainda assim seria um cara bonitão. Podia até ter usado tranças nagô e ter lábios grossos de beijar… Um deus do ébano bonitão!

Problemas em aceitar Jesus nunca tive, mas agradeço o fato de minha mãe nunca ter obrigado a fazer primeira comunhão, crisma e coisas assim. Se tivéssemos estudado na mesma escola na adolescência sei que não sofreria bullying de Jesus. Se bem que na época em que eu estudava, o bullying não estava na moda. Sobrevivíamos a seja lá o que era aquilo (assédio, birra, maldade ditada pela inveja dos colegas que tiravam nota baixa, zoação pura e simples, instinto juvenil perverso…). Ao menos a maior parte de nós sobrevivia de forma estoica e não desprovida de uma certa dignidade. Outros se defendiam no tabefe e ia todo mundo esbarrar na Diretoria. Ainda assim não consigo imaginar Jesus chamando uma garota gordinha e de óculos, de baleia e quatro olhos.

O problema realmente não está em Jesus, mas infelizmente, mesmo sem querer, o coitado cria muitos problemas. É tanta gente safada mentindo em seu nome…

E é nesse povo, incluindo o baleiro que desviou o foco dos meus pensamentos, que está o problema. Jesus é um cara bacana, mas infelizmente uma parte considerável dos seus seguidores não vale nada!

*(Im)paciente Crônica é uma nova tag na sessão de Crônicas do Mar de Histórias.

Sobre Andreia Santana

Nasci em Salvador-BA, tenho 42 anos, sou jornalista e master em jornalismo on line, traça de biblioteca, cinéfila, pesquisadora de literatura e redes sociais, aspirante a encantadora de palavras, vaidosa, comilona, solteira e mãe de Matheus, uma pessoa fascinante.
Esta entrada foi publicada em Cotidiano, Crônicas com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

4 respostas a (Im)paciente Crônica: Aceite Jesus!

  1. carloskahe diz:

    Sensacional o texto. Concluí a leitura com uma quase gargalhada. Delícia!

  2. Mariana diz:

    Sou católica desde pequenininha, é algo que me faz bastante bem, mas concordo totalmente com tudo o que você falou, parabéns!!!

  3. Célia Cortez diz:

    adorei este artigo ! Parabéns, penso da mesma forma. bjs.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s