Resenha: E tem outra coisa… (Eoin Colfer)

Justa homenagem, mas sem o encanto original A ideia é interessante e Douglas Adams, que em 2012 faria 60 anos se não tivesse morrido precocemente aos 49, em 2001, bem que merecia a homenagem. Mas a verdade é que, sem querer ser purista, nem toda história pode ter mais de um “pai”. E tem outra … Continuar a ler Resenha: E tem outra coisa… (Eoin Colfer)

Advertisement

Sobre plágio e preguiça de pensar

A geração atual, descrita em um verbete da Wikipédia no futuro, será definida como "destituída de senso crítico, incapaz de pensar por conta própria, sem capacidade de contextualizar o mundo onde vive histórico-político-socialmente, desonesta e essencialmente analfabeta funcional". Se você pertence a geração atual e não se encaixa na descrição, parabéns, pois faz parte do … Continuar a ler Sobre plágio e preguiça de pensar

Deixa ela entrar é publicado no Brasil

Deixa ela entrar, do autor sueco John Ajvide Lindqvist, chega ao mercado brasileiro pela editora Globo Livros. O romance já foi publicado em 30 países e deu origem ao belíssimo filme homônimo, de 2009, e ao remake norte-americano Deixe-me entrar, de 2010, que também é interessante, embora não supere a delicadeza do original. O livro, apesar … Continuar a ler Deixa ela entrar é publicado no Brasil

Resenha: Uma porta para um quarto escuro (Antonio Cestaro)

Ciranda de palavras para desvendar a alma Uma porta para um quarto escuro, livro de estreia do músico e editor Antonio Cestaro, 47, publicado pela Editora Tordesilhas, é apresentado como uma coletânea de crônicas, mas as palavras do autor se vestem de conto e de prosa poética para seduzir leitores ávidos por delicadeza. O texto de … Continuar a ler Resenha: Uma porta para um quarto escuro (Antonio Cestaro)

“Qualquer coisa que tivesse um superlativo estava bom”

"A maior fantasia de qualquer um dos Aesir era estabelecer tarefas impossíveis para mortais, depois sentar confortavelmente em um banco de bar e observar o pobre infeliz estourar uma tripa ao tentar cumprir a ordem dada. Uma das tarefas prediletas dos deuses era matar um dragão ferocíssimo, ou escalar uma torre altíssima ou até mesmo … Continuar a ler “Qualquer coisa que tivesse um superlativo estava bom”

“Seja sempre assim”… mas mude!

"Seja sempre a pessoa que eu conheço". Um desafio! Ser a mesma pessoa, que tenta manter a lucidez, a coerência e preservar valores que embora digam que andam em desuso no mundo, ainda valem a pena; mas também mudar. Dá para entender? As mudanças importantes são aquelas que fazem evoluir mas sem abrir mão da … Continuar a ler “Seja sempre assim”… mas mude!

Sem paciência para eleição

Ano de eleger prefeito e vereadores. Não tenho candidato nem para um e nem para outros. E Salvador segue mascarando o abandono histórico em canteiros de obras para o estádio da copa, os condomínios fechados classe AAA e as vias expressas que não desengarrafam o trânsito beirando colapso. Nas madrugadas da saída do plantão, a … Continuar a ler Sem paciência para eleição

Resenha: O prisioneiro do céu (Carlos Ruiz Zafon)

Um livro para fazer justiça a don Fermín Carlos Ruiz Zafon devia aos fãs de sua saga do Cemitério dos Livros Esquecidos, iniciada com o belíssimo A sombra do vento, uma história que revelasse o misterioso passado de um dos coadjuvantes mais interessantes criados nos últimos tempos pela literatura. E ele preenche essa lacuna, revelando-nos … Continuar a ler Resenha: O prisioneiro do céu (Carlos Ruiz Zafon)

“para um bom amasso não ia achar nada mau…”

"- E qual é o seu tipo? O do Evaristo? - Nao, Deus me livre! De tanto se olhar no espelho, ele vai gastar. Homem que leva mais tempo do que eu se arrumando me dá aflição, sei lá. Gosto deles um pouco brutos, como é que vou dizer? E sei muito bem que Fermín … Continuar a ler “para um bom amasso não ia achar nada mau…”