I´ll be watching you…

Dia desses um amigo postou no Facebook uma bronca, lembrando às pessoas que nem tudo o que elas vivem ou fazem no seu dia a dia precisa ir parar na rede social. Na última sexta, dando meu “passeio” diário pelos sites de algumas revistas, me deparei com uma postagem do blog Mulheres do Mundo, da Marie Claire, sobre um serviço de administração da nossa imagem virtual. Me assustei.

O susto não foi pela postagem em si, mas pela proposta do tal serviço de administração da imagem virtual dos usuários de redes sociais e demais sites, como os de networking e etc.

Primeiro, fiquei encucada e também decepcionada com o nível de maturidade das pessoas e com uma certa “ingenuidade” tecnológica. De fato, tem gente que se ilude com o anonimato da internet ou que se deixa levar por essa onda de grande confessionário virtual e se expõe além do que ditaria o bom senso.

O tal serviço de administração seria uma espécie de plano de contingência de minimização de danos. Como funciona? Simples, através de técnicas de engenharia de busca avançada, o tal serviço empurraria para as profundezas da internet todas as mancadas virtuais do “cliente”, ressaltando nas famosas três primeiras páginas do Google, apenas as referências positivas e politicamente corretas a essa pessoa. Entenderam agora o motivo do meu susto? Não? Peraí que explico melhor:

1 – um serviço de minimização de danos à imagem, causado pelo uso irresponsável das redes sociais, quando a criatura se expõe mais que o necessário, pressupõe a falta de maturidade que citei lá no comecinho dessas reflexões;

2 – um serviço que passa a monitorar a sua vida on line, ligando o alerta vermelho para as inconveniências postadas, pode facilmente virar instrumento de censura imposta e autocensura, pois junto com as fotos da bebedeira na festinha de Natal da empresa, pode também passar a monitorar ideias, alertando quando por exemplo, alguém discordar de governos ou filosofias defendidas pela maioria. É o Grande Irmão saindo das páginas de 1984 para assombrar nossos anseios de liberdade;

3 – uma pessoa que não tem maturidade para selecionar por conta própria o que sobre sua vida pessoal pode ou não ir esbarrar na rede e que contrata um serviço para limpar a sujeira e aparecer bem na fita, na minha opinião, é uma fraude em termos de ser humano e também de profissional. Se o objetivo da faxina for descolar aquela super vaga naquela grande empresa, os serviços de RH vão ter de tomar cuidado redobrado para não contratar gato por lebre. No fundo, tanto da web quanto da própria alma, a criatura que usa serviços desse tipo continuará sendo/acreditando nas mesmas coisas que num surto deixou escapar na internet. Ou seja, se é preconceituoso, não deixará de ser, apenas esconderá isso. Por obra e graça do truque em enganar os buscadores, mostrará lógico, uma outra face, bem mais cordial, simpática, competente e engajada do que a real;

4 – Se a internet – principalmente as redes sociais – ainda é vista por alguns como uma grande ilusão, em que cada um apresenta sempre sua melhor face, com um serviço que facilite a limpeza dos deslizes nossos de cada dia, imaginem o tamanho do estrago…

5 – De certa forma, não é uma novidade assim tão grande um serviço que ajude a esconder as fotos constrangedoras ou as informações comprometedoras. Muita gente, no bom e velho currículo de papel, também acaba disfarçando a realidade para aparecer mais capacitado, boa gente e competente do que é de fato. Nesse caso, porém, basta um mês de trabalho para que a fraude seja identificada. Nos casos mais gritantes, uma semana basta.

6 – Não é errado querer mostrar sempre o nosso melhor lado, faz parte da natureza humana querer aceitação e já até falei disso, recentemente, nesse post aqui. Mas, ressalto, uma coisa é tentar ser uma pessoa melhor e claro, projetar isso para os outros. Outra coisa é contratar um serviço de faxina on line que não vai ajudá-lo a ser uma pessoa melhor, mas apenas esconder o seu lado ruim. Captaram a sutileza da diferença?

7 – E por fim, fico pensando em ano de campanha eleitoral, como este 2012. Políticos, que já gozam da fama eterna de mentirosos contumazes, vão deitar e rolar usando um serviço que escamoteia seu passado nebuloso. E haja aparecer no Google as fotos de criacinhas (de preferência carentes) sendo beijadas. Eleitor, infelizmente, tem memória curta e índice zero de senso crítico, então…

Já disseram uma vez que a verdade e a mentira são meras questões de ponto de vista. Vale ressaltar que discordo disso. Mas, pegando essa afirmação como verdadeira, meu susto só cresce, na mesma proporção em que aumenta minha certeza de que vivemos tempos perigosos, em que palavras como confiança, por exemplo, são cada vez mais empurradas para as profundezas da vida e dos buscadores.

Sobre Andreia Santana

Nasci em Salvador-BA, tenho 42 anos, sou jornalista e master em jornalismo on line, traça de biblioteca, cinéfila, pesquisadora de literatura e redes sociais, aspirante a encantadora de palavras, vaidosa, comilona, solteira e mãe de Matheus, uma pessoa fascinante.
Esta entrada foi publicada em Cultura e Sociedade, Geral, Reflexões, Tecnologia com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a I´ll be watching you…

  1. Pingback: Soltem os gatos e os cachorros | Mar de Histórias

  2. Bem…isso tudo é no mínimo assustador…eu não me policio muito quando acesso o Twitter, principalmente…imagino que todos saibam de tudo o que falo. Já fui mais aberta, hoje, me reservo mais…ótimo artigo.
    Beijo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s