De volta a inocência

A releitura da Disney para Rapunzel é muito gostosinha de assistir. Descompromissada, leve, engraçada e com um romantismo à moda antiga do qual ando sentindo a maior falta. Depois de uma tarde jogando Quest com meu filho e rindo abestalhadamente das besteiras que respondíamos às perguntas de conhecimentos gerais do joguinho, fechar a noite de sábado com uma historinha de príncipe e princesa era do que eu precisava para alimentar meu erê interior. Domingo teve mais Quest, mas ao invés de procurar outro filminho na TV, fui terminar O ano da morte de Ricardo Reis (em breve resenho ele aqui). Três vezes inocência: brincar feito criança com um filho que já caminha para o meio da adolescência; ver desenho animado e beber as palavras humanistas e delicadas de Saramago. Dessas coisas se faz a felicidade de uma pessoa e olha que isso nem é propaganda de cartão de crédito…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s