Poeta Cruz e Souza ganha biografia pelo Selo Negro

Das obras da Selo Negro Edições (Summus Editorial), já li e resenhei aqui para o blog aquelas sobre Lelia Gonzalez e Luiz Gama. Agora, para comemorar os 150 anos do nascimento de  Cruz e Souza, a editora lança a biografia do expoente do simbolismo. Cruz e Souza – Retratos do Brasil Negro, escrito pela jornalista Paola Prandini, tem lançamento nacional nesta segunda-feira, dia 21.

O livro traz informações sobre a vida e a obra do poeta, além de enfatizar sua militância e o combate às injustiças sociais de seu tempo. Embora nos anos 50  e 60, críticos literários tenham tentado desmerecer a obra poética e até o comprometimento de Cruz e Souza com a causa abolicionista, essa obra de Paola busca mostrar outra imagem dele.

Vida dura – Nascido em 24 de novembro de 1861, em Florianópolis, o poeta teve uma infância pobre. O pai ainda era escravo e a mãe, alforriada, trabalhava como doméstica na casa de um importante militar da cidade. Esse vínculo permitiu a Cruz e Sousa ter uma educação razoável, mas a cor da pele impediu sua ascensão social.

Formado, trabalhou como professor particular e vendedor. Também foi nomeado promotor público de Laguna, mas nunca assumiu o cargo devido a manobras dos poderosos da cidade, que não admitiam um negro em um cargo de importância.

Anda em mim, soturnamente,
uma tristeza ociosa,
sem objetivo, latente,
vaga, indecisa, medrosa.
Como ave torva e sem rumo,
ondula, vagueia, oscila
e sobe em nuvens de fumo
e na minh’alma se asila.

(Primeira estrofe do poema Tristeza Infinita, de Cruz e Souza)

Depois da abolição, em 1888, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou em diversos jornais. Em 1892, publicou suas duas primeiras obras individuais, Missal (com poemas em prosa) e Broquéis (com poemas). As outras obras dele são todas póstumas: Evocações (poemas em prosa, 1898); Faróis (poesia, 1900); Últimos Sonetos (poemas, 1905); e O livro derradeiro (poesia, 1945).

A biografia não esconde também os aspectos trágicos de sua curta vida. Casou-se em 1893, mas a esposa enlouqueceu e dos quatro filhos que teve, três morreram de tuberculose. O próprio foi vitimado pela doença, aos 36 anos. Além disso, ao resgatar a memória de Cruz e Sousa, o livro faz um panorama histórico de sua época, reproduz as cartas que ele enviou aos amigos e compila toda a produção literária do poeta.

Ficha Técnica:

Cruz e Sousa – Retratos do Brasil Negro

Autora: Paola Prandini

Editora: Selo Negro Edições

136 páginas / Preço: R$ 22,00

Mais informações no site: www.summus.com.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s