Resenha: Asterios Polyp (David Mazzucchelli)

Romance em linhas e curvas Econômico nos traços e nas palavras, David Mazzucchelli consegue dizer muito da condição humana com a sua novela gráfica de estreia, Asterios Polyp, lançada no Brasil agora em outubro, pela Quadrinhos na Cia (divisão da Companhia das Letras). Trata-se de uma história de amor e autodescoberta sem arestas aparadas, em … Continuar a ler Resenha: Asterios Polyp (David Mazzucchelli)

Palestra na Faculdade da Cidade

Fiz uma palestra nesta segunda, 24, para os alunos dos cursos de Jornalismo e Publicidade da Faculdade da Cidade, localizada no bairro do Comércio. O convite veio através do jornalista  e professor Dyogenes Costa, de quem fui colega na UFBa, quando cursava disciplina como aluna especial do Mestrado em Cultura e Sociedade. Fiquei super feliz … Continuar a ler Palestra na Faculdade da Cidade

“um homem de muitas partes artificiais”

"O advogado Frank Tull era um homem de muitas partes artificiais.  Seus dentes haviam sido feitos sob medida e ajustados à arcada-dentária por um cirurgião-dentista. Seus olhos, fracos e imprestáveis, viam o mundo através de lentes bifocais, tão distorcidas que só através delas a distorção dos próprios olhos de Frank era capaz de perceber as … Continuar a ler “um homem de muitas partes artificiais”

Eoin Colfer, criador da saga de Artemis Fowl, escreve novo episódio do Guia do Mochileiro da Galáxias

Se você abandonou sua toalha no fundo de algum armário, resgate-a. Depois de quase vinte anos, O Guia do Mochileiro das Galáxias, série ícone criada por Douglas Adams, ganha um sexto episódio. E escrito por ninguém menos que Eoin Colfer, autor da saga de Artemis Fowl, o menino gênio do crime. Ou é uma delícia … Continuar a ler Eoin Colfer, criador da saga de Artemis Fowl, escreve novo episódio do Guia do Mochileiro da Galáxias

Pagode da rebeldia? Não, é mera resignação…

Os pagodeiros baianos se conformaram com o lugar legado ao negro pela colonização de ideologia branca, machista, racista e dominante: o corpo. Embora, para defender sua arte, apregoem que as letras pejorativas e depreciativas, sobretudo da figura feminina, servem como protesto da periferia, como uma ação libertária dos expatriados, uma ode à putaria no reino … Continuar a ler Pagode da rebeldia? Não, é mera resignação…

Resenha: Autobiografia não autorizada de Lemony Snicket

Para iniciados em CSC... ou nem tanto Nenhum dos mistérios das Desventuras em Série é esclarecido nesta  Autobiografia não autorizada de Lemony Snicket. E ainda assim, o livro é um desfecho compatível com a coleção original, de 13 volumes, que conta a desditosa história dos órfãos Baudelaire. A sensação é de que Daniel Handler, o … Continuar a ler Resenha: Autobiografia não autorizada de Lemony Snicket

Música para meus ouvidos: How can I go on

Freddy Mercury - sempre fui louca pelo Queen, desde guria - e MontSerrat Caballe, cuja voz de rouxinol me leva a um estado de graça tão profundo que não sei descrever. Um dos meus duetos favoritos, para o deleite de quem diariamente me brinda com visitas por aqui, e também para quem caiu nessas águas … Continuar a ler Música para meus ouvidos: How can I go on

Resenha: A noite mais escura do ano

Thriller sobre cachorros e... anjos Dizem os apaixonados por cães que eles funcionam como verdadeiros anjos da guarda, nem tanto por protegerem a casa e os bens de seus donos, mas por uma dedicação afetuosa e desprendida que só poderia vir de um ser iluminado. O escritor de thrillers norte-americano Dean Koontz explora tanto a … Continuar a ler Resenha: A noite mais escura do ano

Tenho medo de você

Todo usurpador do poder tem medo de uma rebelião que o tire da posição de comando. A frase pode dar essa impressão, mas minha ideia não é falar de partidos, embora o tema tenha seu viés político. Trata-se, porém, não da política eleitoreira, mas daquela feita no cotidiano, nas negociações inerentes ao jogo social. Trata-se, … Continuar a ler Tenho medo de você

É volante ou joystick?

O nome é Naná para os íntimos. Os íntimos são os coitados que moram na Vila Laura e dependem da linha Narandiba-Hospital Geral para chegar ao trabalho. Como sou unha e carne, batizei de Naná. É o único ônibus, dos raros que  transitam pelo bairro, que serve a quem precisa chegar à região do Iguatemi … Continuar a ler É volante ou joystick?