Dicas de leitura, Geral, Literatura, Resenhas

Resenha: Pequena Abelha

Nem só da doçura do mel vivem as abelhas

Pequena Abelha é um réquiem, mas ao invés da tristeza de uma missa fúnebre, traz uma singela mensagem de esperança, tão tênue que quase passa por desencanto. O livro toca em tema polêmico: a imigração ilegal e a xenofobia que se espalha pela Europa. Mas o faz com tanto lirismo que o leitor mais desatento pode facilmente perder o foco no drama real que se esconde por trás das histórias de duas mulheres que só existem em papel e tinta.

A ação é narrada em primeira pessoa pelas duas personagens principais, a jornalista britânica Sara, editora-chefe de uma revista feminina, viúva e mãe de um garoto de quatro anos; e a adolescente nigeriana refugiada “Pequena Abelha”, que adota o codinome do inseto que fabrica o mais doce dos alimentos, como forma de sobreviver a amargura da existência no limbo da civilização. Sem documentos e recém saída de um centro para acolhimento de refugiados, a jovem oscila na fronteira de dois mundos. Está entre a África, para onde não pode voltar, e a Europa, que não a quer. Entre a vida e a morte.

As memórias passadas e presentes – o livro alterna trechos em flashback com acontecimentos “em tempo real’ – de Sara e Pequena Abelha se entrecruzam de forma inesperada, do mesmo modo que suas vidas se unem graças a uma fatalidade e a uma decisão extrema tomada por uma delas.

Uma criança de quatro anos que nunca tira a sua fantasia de Batman é uma das belas figuras de linguagem que Chris Cleave usa para falar de medo, fragilidade e máscaras que protegem da crueza do mundo

Chris Cleave, jornalista que, com este publica seu segundo romance, revela habilidade na condução do leitor pelos caminhos da história. O interessante é que ele desaparece totalmente, incorporado aos trejeitos de suas personagens, e mostra o mundo sob os pontos de vista de uma garota de 16 anos e de uma mulher madura em crise existencial, como se de fato fosse ora uma, ora outra.

Outro grande trunfo do livro é a diversidade de personagens secundários que ele apresenta em diversos cenários como o centro de acolhimento de refugiados, na vizinhança de Sara, na praia nigeriana onde a jornalista e Pequena Abelha se conhecem, em uma fazenda onde a jovem pernoita junto com outras refugiadas ou no parque onde Sara, o filho e o amante fazem um piquenique. Em poucas páginas, o autor tece um mosaico que serve de sólido pano de fundo para o desenrolar de dois dramas individuais que servem de metáfora para uma tragédia muito maior: a derrocada da sociedade moderna.

O ocidente, representado por Sara, vive uma de suas maiores crises morais desde o advento da civilização. Já o oriente, o outro lado da fronteira social que divide o mundo em desenvolvido e subdesenvolvido, de onde veio Pequena Abelha, só quer o direito de existir sem que para isso sejam necessárias folhas carimbadas em vermelho, dando autorização.

Ficha técnica:

Pequena Abelha

Autor: Chris Cleave

Editora: Intrínseca

272 páginas / R$ 29,90

Anúncios

7 thoughts on “Resenha: Pequena Abelha”

  1. Prezado Alexandre,

    1 – Nas normas da netiqueta (etiqueta virtual), escrever em letras maiúsculas significa que a pessoa está gritando e alguém que entra em um blog pessoal para gritar com o autor, por ser incapaz de compreender um romance, decididamente, precisa voltar para a escola e as aulas de interpretação de texto.

    2 – Resenha nenhuma ilude leitor nenhum. O autor de uma resenha expressa no texto a própria opinião sobre determinada obra. Alguns leitores usam resenhas como referência na hora de escolher livros, mas isso não significa que as pessoas sejam incapazes de escolher seus livros sozinhas, independente do que a resenha diga.

    3 – Resenhas são opiniões pessoais e subjetivas, portanto, eu teci a minha opinião no meu texto. Você leu porque quis ler e se baseou nele para fazer suas escolhas de leitura também porque quis. Não bote a culpa da sua incapacidade de interpretação de texto no autor de uma resenha.

    4 – Gosto é algo pessoal. Eu gostei do livro e disse isso na minha resenha, no meu blog, que honestamente, não precisa da sua visita pra continuar existindo. Você leu o livro e não gostou, se fosse escrever uma resenha sua, provavelmente ela seria negativa.

    Saudações e não volte mais!

    Andreia

  2. Curti muito a sua resenha!
    Deu a mim significado mais amplo do sentido do livro.
    Parabéns pelo Blog. Aliás eu também amei o livro “Pequena Abelha”.

  3. Quero muito ler esse livro. Gostei do tema e da sinopse que o livro vende ser, portanto, logo, logo irei lê-lo. Muita bacana sua resenha, deu mais vontade de ler ainda!

    :D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s