Diários, Literatura, Mulher Sem Retoque

Anotação no “querido diário” de Monique

Monique não dorme antes de atualizar o diário. Mas só o faz depois que todos em casa ressonam tranquilos em suas camas. A hora em suspensão, quando a noite se perde em si mesma, depois da meia-noite, antes das três da madrugada, é o seu momento de vagar pela casa, sozinha e em silêncio. Existe uma magia nesse horário, como se para atualizar o grande caderno de capa vermelha, fosse necessário esperar o resto da família entrar em sono REM. Nenhum outro horário é tão seu quanto este, em nenhuma outra hora do dia o caderno se abre tão ávido, e manso, aos seus anseios, medos e revoltas, talvez por timidez, do caderno ou quem sabe, das palavras. (…)

Hoje ela escreveu: “Um dia de decisões impulsivas que podem render um futuro promissor ou não, mas o risco, de alguma forma, terá de ser corrido. Emocionalmente, decidi esperar não por você, especificamente, mas pelo destino. Sempre fica a esperança de que um e outro sejam a mesma coisa, mas não fica mais a expectativa. Nem todas as mulheres precisam cumprir o destino de Penélope.”

Para ler outros textos da série Mulher Sem Retoque no blog, o link é este.



Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s