Jornalismo, Querido Diário

Humor: 40 motivos para casar com jornalistas

Recebi a lista abaixo, por email. Uma piadinha de amigos que gostam de mexer com os meus brios jornalísticos.  A pretensão é enumerar os motivos que um homem ou mulher encontrariam para casar-se com jornalistas. É uma brincadeira, mas eu não resisti e sucumbi a minha mania de analisar tudo e de jogar um tiquinho de sarcasmo no brinquedo alheio (ninguém é perfeito, também tenho meu lado evil). As anotações em vermelho são as minhas interferências contra-argumentativas para que as pessoas “normais” NÃO casem com jornalistas; ou para que pelo menos não queiram casar com um, achando que vão levar o William Bonner (e o salário dele) para casa:

40 motivos para se casar com uma (um) jornalista

1.           Jornalista geralmente é criativo, ele vai surpreender você quando menos esperar; pessoalmente noto uma falta de criatividade cada vez maior nas redações. A turminha meio que se acomoda às facilidades da tecnologia, ao invés de usar esses recursos para criar!

2.           São curiosos e antenados, você sempre ficará por dentro de tudo que acontece; aqui também há exceções à regra. O descaso da sociedade como um todo para com o outro (o próximo) também existe no meio jornalístico. Nem todo jornalista abraça a profissão por causas humanitárias.

3.           Eles não ganham bem, mas isso é bom porque vocês podem aprender a economizar dinheiro; que não ganham bem é verdade, mas também adoram gastar e quase sempre estão endividados. Sinceramente, concordo com uma amiga minha: “é um luxo e  um privilégio sem precedentes, ainda mais num país de salário mínimo de 500 conto por mês, ganhar pelo menos quatro vezes isso para escrever!”

4.           No Natal, Ano Novo, Carnaval… eles provavelmente estarão na redação. Mas, pense pelo lado positivo: antes trabalhando do que vagabundando; Estar na redação em todos os feriados que as pessoas normais têm para se divertir e recarregar as baterias realmente torna os jornalistas pessoas muito legais, nada neuróticas e muito menos estressadas.

5.           E outra! Trabalhando muito, eles não têm tempo de se interessar por outra pessoa; aqui também há controvérsias, porque essa “outra pessoa” pode justamente ser um (a) colega de redação carente e triste por ter de trabalhar tanto.

6.           Eles não são bons de matemática, mal sabem somar e subtrair; mas, para que saber isso se são os mestres da escrita?; A julgar pelas deficiências do ensino brasileiro (público ou privado) e pelas matérias que edito no dia-a-dia, “mestres da escrita” é um exagero sem conta.

7.           Acostumados com pautas, são bem organizados e planejam bem as coisas antes de fazê-las; por terem de fazer tanta coisa ao mesmo tempo, a probabilidade de serem pequenas ilhas de caos ambulante também é igualmente verdadeira.

8.           Como é fissurado por fontes, quando você tiver uma ótima ideia, ele não vai dizer aos amigos que foi coisa da cabeça dele. Dará todas as honras para você!; Hummmmm…

9.           Como vivem numa rotina corrida, não tem muito tempo para opinar nas coisas da casa. O que você fizer, ele vai achar lindo; a verdade é que ele (a) não para em casa (mora na redação) e pouco vai reparar no que quer que você faça.

10.       Tudo é um grande brainstorm (tempestade de ideias). Monotonia não vai entrar na sua casa!; conheço jornalistas tão monótonos quanto aquele estereótipo do funcionário de repartição prestes a se aposentar.

11.       Quando vocês brigarem, ele não vai achar que a opinião dele é a melhor. Tem que ouvir todos os lados de um fato, ele saberá analisar a situação!; Já ouviram o ditado casa de ferreiro, espeto de pau? Engana-se quem acha que dentro de casa o jornalista é tão cool e descolado quanto no trabalho. Jornalistas são mortais comuns, numa briga de casal, não vão agir como se estivessem apurando reportagem!

12.       Em coberturas de grandes eventos, você poderá entrar de gaiato. Cada final de semana em um lugar diferente: jogos de futebol, avenida de escola de samba, lançamento de livros…; é por essas e outras que a minha vilipendiada profissão é tão mal vista pela sociedade. Levar a família para um evento se aproveitando da famosa “carteirada” é um dos maiores exemplos de falta de ética que um jornalista pode dar!

13.       Mantêm revistas e jornais no banheiro. Você nunca ficará olhando para o vácuo. Ganhará conhecimento!; sem comentários

14.       Idolatram pessoas totalmente desconhecidas (o seu Zé, a Dona Maria, o Juquinha…) Todos com ótimas histórias de vida que vocês podem usar no cotidiano também para se tornarem pessoas melhores!; é uma pena que raros jornalistas se deem o direito de descer do pedestal e de fato aprender alguma coisa com essas pessoas.

15.       Não vai faltar café na sua casa. Café e jornalista são praticamente sinônimos; engraçado, não gosto tanto assim de café, minha droga é chocolate (serotonina concentrada, 100% de cacau puro na veia, yeahhhhhh!!!)

16.       Ele pode escrever os votos matrimoniais da sua irmã, criar o conteúdo do site de negócios do seu pai, ensinar sua mãe a tirar fotos das amigas nos eventos do bairro. Ele aprende de tudo um pouco e gosta de compartilhar!; com certeza, ao saber que tem um jornalista na família vai aparecer parente com todo tipo de demanda, de convite pra evento e abadá de bloco carnavalesco a pedido pra “divulgar” o amigo do primo do tio do irmão de um colega meu da pré-escola, que tá começando uma banda de rock e precisa de uma forcinha.

17.       Tudo para o jornalista tem uma explicação. Eles nunca vão se contentar com a primeira versão de um fato. Você sempre terá uma resposta, mesmo que demore; justamente, olha eu aqui reexplicando toda essa lista!

18.       São ótimos investigadores. Se alguém no trabalho passar a perna em você, rapidinho ele descobre quem é!; o contrário também vale, alguns são vítimas de golpes com frequência. Tenho pelo menos a má lembrança de uns dois freelas que nunca me pagaram.

19.       Como trabalham muito, não tem tempo para beber demais, fumar, se envolver com drogas… Você terá um companheiro saudável!; também não vou comentar a ironia deste item, está explícita.

20.       Tá bom, vai… eles não costumam comer coisas muito saudáveis. Mas se você for legal e fizer comida para ele levar ao trabalho, isso se resolve rapidinho, não é? =); que machismo, com certeza quem fez essa lista foi algum jornalista “macho”  carente!

21.       Suas viagens nunca serão monótonas! Se acontecer qualquer movimento estranho, ele vai logo querer saber o que é e infiltrará você junto para desvendar o problema; que o jornalista é curioso é fato. E que tem o hábito de transformar a vida privada e a dos amigos em pauta também. Mas que mania de achar que todo jornalista vai ficar levando a família pra cima e pra baixo em tudo o que faz! Só os maus jornalistas – e os sem-noção, lógico – misturam as estações desta forma!

22.       Amam roupas leves e simples no dia a dia. Você não vai gastar muito dinheiro com isso; muitos gostam de grifes e de andar na moda e cá pra nós, o que há de errado com isso? A visão romântica do jornalista sujinho e hiponga pertence ao passado de Woodstock. Queria mais jornalistas bem-vestidos e com nobres intenções reais, exercendo a profissão com consciência social, do que o bando de “informais e descolados” de jeans rasgados e atitudes arrogantes e sacanas que andam por aí.

23.       Mas também sabem se arrumar bonitinhos para os eventos. Você terá um parceiro que sabe ser simples, mas também sabe arrasar. Tudo vai depender da ocasião; sem comentários.

24.       A agenda é o seu melhor amigo. Mas, não fique com ciúmes! Pense pelo lado positivo, nunca vai esquecer nenhuma data importante, porque tudo fica rigorosamente descrito lá; o que fica descrito na agenda de um jornalista são os telefones das fontes. Já vi colegas esquecerem aniversário de casamento ou terem de ficar enfiados na redação no dia do aniversário de um filho. Médicos, bombeiros e outros profissionais de cunho mais “social” também trabalham sábados, domingos e feriados, e aí?

25.       Eles não ficam irritados com “nãos”, afinal, estão acostumados com assessorias de imprensa que não querem divulgar os bafões. Você não terá um companheiro irritado, mas, em compensação ele não vai desistir até conseguir o que quer. mentira deslavada.

26.       Como são antenados, também sempre ficam sabendo das novidades tecnológicas primeiro. Às vezes, até ganham de presente para testar a ferramenta. Você terá tudo em primeira mão na sua casa; e lá vamos nós de novo reforçar o estereótipo de que todo jornalista é um jabazeiro sem vergonha!

27.       Eles não se importam com calor, chuva, trovões… afinal, precisam estar onde a notícia está! Você poderá ir na praia com 50 graus tranquila ou aquela viagem dos sonhos pode se tornar um pesadelo no caos de São Paulo que ele não vai blasfemar. Ainda vai dar risada da situação;  a gente blasfema sim, porque somos humanos, mas são os ossos do ofício e o jeito é encarar.

28.       Acham que podem salvar o mundo com uma matéria. Olha que sensibilidade!; cada vez menos jornalistas pensam assim, o que é uma pena, porque se fosse algo tão corriqueiro pensar na “função social” da profissão, talvez o mundo realmente tivesse salvação…

29.       Eles sempre sabem tudo todo o tempo; não sabem, porque senão seriam Deus e não meros mortais.

30.       Gostam de música para acalmar; isso é verdade!

31.       Leem livros raros, histórias para crianças e semiótica… Seus filhos serão super dotados se depender dele; semiótica só na faculdade, porque precisa, mas no dia a dia, ninguém é tão nerd (nem um jornalista) pra andar pra cima e pra baixo com livros de semiótica embaixo do braço, a menos que seja um daqueles “pseudointelectuais” de quem Marcelo Rubens Paiva fala com tanta sabedoria em Feliz Ano Velho.

32.       Sua vida social é infinitamente grande. Você nunca poderá reclamar que não conhece gente nova; essa verdade se aplica aos jornalistas da cena cultural, quem cobre geral não anda em badalações com tanta frequência.

33.       Eles estão acostumados com coisas chatas e sabem contorná-las muito bem. O casamento nunca vai virar algo monótono; kkkkkkk, chegou onde eu queria. Esse falatório todo era pra dizer que casar é chato? então não casa santo (a)!

34.       Eles gostam de camisas com estampas de alguma brincadeira sobre algo atual. Suas amigas vão ficar com inveja do seu companheiro inteligente; não entendi a relação da inteligência com a camiseta. Tem muita gente bem medíocre por aí que arruma uma frase interessante (dita por outra pessoa, óbvio), taca na camiseta e anda posando de “gênio”.

35.       Eles sempre têm uma opinião sobre qualquer coisa na face da Terra. Durante uma conversa entre amigos, vocês nunca ficarão apagados; e Deus conserve esse senso crítico de alguns, ao menos!

36.       A maioria gosta de virar psicólogo, técnico de futebol e médico às vezes. Você terá um companheiro mil e uma utilidades; os jornalistas que cobrem segurança se sentem os próprios homens da lei, é patético!

37.       Por causa da profissão, são forçados a aprender mais de um idioma. Você vai ouvir “Eu te amo” em, pelo menos, umas três línguas diferentes; “são forçados” é ótimo!!!!!

38.       A primeira coisa que seu filho vai aprender é que a informação é a alma do negócio. Com dois anos, sua fofurinha vai saber o que é aquecimento global, mercado financeiro e já saberá criticar políticos; tenho de perguntar pro meu filho o que ele sabia aos dois anos, mas acredito que o mercado financeiro não tava no repertório.

39.       Gostam de mudar de cidade, estado e até de país. Você conhecerá muitos lugares!; mas como eles não têm grana pra isso, você terá de se contentar com o google maps!

40.       Assistem documentários e vão a museus o tempo todo, não importa o que seja. Ô cultura! também gostam de ir pro boteco, ver novela, bater o baba no fim de semana, ir ao cinema, pegar um bronze na praia, fazer churrasco no fundo do quintal, como qualquer mortal comum, amém!

Anúncios

2 thoughts on “Humor: 40 motivos para casar com jornalistas”

  1. Oi Fernando,
    É isso, vc foi no ponto, o problema é o endeusamento da profissão e os estereótipos que vem com as listas. Obrigada pelas generosas visitas. Um abraço!

  2. esse endeusamento da profissão de jornalista – assim como de qualquer outra – precisa ser visto, de fato, com reservas e vc demonstrou bem isso nos comentários. o que me angustia nessas listinhas de profissões é que são cheias de clichês e generalismos.

    parabéns pelo um ano de histórias no blog.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s