Literatura, Poesia

“Meus 11 anos”

Da Série Migrações

Me vejo no espelho
não sei o que vejo
meu rosto redondo,
afinou…
e sobre minha boca
não sei que coisa é
se penugem, bigode?
miragem…

Minhas pernas roliças
agora tão compridas…

Olho embaixo do braço
e até dentro da cueca
nos lugares engraçados
não têm pelos ainda!

Não me sinto mais bebê
mas tampouco sou grande
minha mãe me chama:
– meu menino!
mas também me cobra
– rapazinho…

Não me apertem as bochechas
mas não tirem meu colinho

Minha tia, de gozação
diz: – é só o começo…

Vou riscar o calendário
rasgar páginas de agenda
Oh Seu Tempo, dê um tempo!
Deixe-me aproveitar mais
esses meus onze anos.

Para Matheus

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s