Conto, Datas, Literatura

Um conto de Natal por Neil Gaiman

Nicholas Era…

Mais velho que o pecado e sua barba não podia ficar mais branca. Ele queria morrer. Os anões nativos das cavernas do Ártico não falavam sua língua, mas chilreavam na deles e realizavam rituais incompreensíveis quando não estavam trabalhando nas fábricas. Uma vez por ano, forçavam-no, aos prantos e sob protestos, pela Noite Sem Fim. Durante a jornada, permaneceria ao lado de cada criança do mundo, deixando um dos presentes invisíveis dos anões ao pé da cama. As crianças dormiam, congeladas no tempo. Ele invejava Prometeu, Loki, Sísifo e Judas. Seu castigo era mais sombrio.

Ho.

Ho.

Ho.

Anúncios

Uma opinião sobre “Um conto de Natal por Neil Gaiman”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s